Carregando
  • Mamãe Granola / parceiros crybaby

    Mamãe Granola organiza a festinha em casa

    Com o sucesso da festa alternativa de 3 anos da filha, no ano seguinte, mamãe granola sentiu-se tirando de letra e animadamente, organizou a festinha de 4 anos da filha, em casa! Com um agravante: no esquema auto-suficiente, faça-você-mesmo, sem terceirizar-nada.

    Iupiii! Trabalho dobrado sem garantia alguma de aprovação das crianças!

    Sem “pacote fechado”, de forma mais “flexível”, econômica e supostamente mais divertida, contratou a equipe de recreação: ela própria e o pai da filha, seu marido, elaborando brincadeiras lúdicas ao som do violão, toalha na grama do pátio e piquenique.

    Para o cardápio – um menu frugal – escolheu 2 sabores de polpas congeladas para bater no liquidificador para as crianças antes da festa começar. Sim, mamãe granola gosta da ideia de oferecer suco natural, caseiro, fresquinho. Comprou polpa sabor açaí, é claro, tão universal esse sabor! e pêssego, “mais palatável ao sabor já tão adocicado de suquinho de caixinha”, vai que, né? Não conhecia bem os amiguinhos da turminha…

    Para dar um toque montessoriano mágico, que cada criança pudesse se servir de suco à vontade! comprou jarras-galões com torneirinhas na ponta que instalou na altura das crianças.

    Os amiguinhos da escola por fim chegaram! Todos felizes. A filha radiante. Era a primeira festinha na própria casa!

    Talvez, instintivamente, para compensar o pão de queijo e o suco de açaí, mamãe granola encomendou um lindo bolo – tema smurfs, com aquela pasta americana, linda e ordinária, que só serve mesmo para enfeite. E que, fica a dica, é difícil para a criança pequena de 3 ou 4 anos lidar e comer sozinha num pratinho de papelão!

    Contudo, o bolo da Smurfete brilhava de longe, impecável.

    Mas, como era óbvio, e a mamãe granola, apenas desconfiava ligeiramente, nem todas as crianças eram granolas. Sucos de polpa natural sem açúcar? Nenhuma saída!!! Serviu só para as crianças provarem da torneirinha delivery e fazerem careta. Os pães de queijo, ok…mas e os milhos que sobraram nas grandes panelas? “Tia, não tem mais nada pra comer?”

    Algumas brincadeiras de roda depois, já cansado, um coleguinha da filha, no auge de sua sinceridade infantil pergunta bem sério pra mamãe granola: cadê o pula-pula?

    Algo quebrava e morria lentamente dentro da mamãe granola.

    O estrago estava feito: um grande furo havia sido feito na bolha do planeta-granola.

    A festa seguinte seria cachorro quente, recreação terceirizada e suco de caixinha. Era o fim das festas 100% alternativas.

    Mas mamãe granola, ainda não sabia.

    Ou melhor, cá entre nós, talvez até soubesse, mas não queria dar o braço a torcer nem confessar seu retumbante fracasso como organizadora de festinhas granola num mundo over groselha.

    Compartilhar:
  • Você poderá gostar

    No Comments

    Leave a Reply